saudade

Branquinha e Pretinha

Desde há 16 anos que sempre tive cães em casa. Para ser mais precisa, primeiro tive a Nocas, depois juntaram-se as manas Pretinha e Branquinha. Viveram as três cá em casa, nem sempre em grande harmonia. A Nocas já era uma senhora quando nasceram as manas. A convivência nem sempre foi pacífica, embora as pequenitas gostassem muito da Nocas, mas esta não estava para as aturar e por isso refilava muito com elas. Foram “partindo”, deixam muitas, muitas saudades e de vez em quando eu penso “e se…? “. Este devaneio dura apenas alguns segundos, porque não dá mesmo. Quase não tenho tempo para mim portanto não seria justo para o animal, cão ou gato, que viesse cá para casa. Hoje, domingo, por esta hora e com este solzão lá fora, seria dia de um passeio mais demorado, sem pressa e com todo o tempo para elas.

Anúncios

Sobre Juana

Esta é a minha vida, aquilo em que acredito. O mundo dá voltas, a vida passeia pelo fio dos dias e das horas e eu vou tentando manter o equilíbrio. Sempre na corda bamba.
Esta entrada foi publicada em fotografia, reflexões com as etiquetas , . ligação permanente.

comentários

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s